5 alongamentos para melhorar a flexibilidade

O alongamento é recomendado para quem quer melhorar a flexibilidade. Grande aliado no combate às dores, esse método, porém, ainda é pouco praticado no dia a dia – apesar de fácil.

O ideal é não ficar mais de três semanas sem alongar para que o efeito do exercício esteja sempre em dia. Pensando nisso, listamos alguns tipos de alongamentos que podem auxiliar a sua flexibilidade.

É indicado, principalmente, para casos em que o ganho da flexibilidade melhora o desempenho esportivo. Além disso, deve ser feito sempre após um aquecimento prévio.

1. Alongamento dinâmico

É feito quando os músculos estão esticados e a pessoa permanece em uma posição estática. O tempo ideal em cada posição pode variar entre 20 e 30 segundos.

2. Alongamento estático

É realizado de maneira passiva, ou seja, com o auxílio de outra pessoa, que segura o membro alongado por 30 segundos.

3. Facilitação neuromuscular proprioceptiva

Nesse método, o ideal é contar com a ajuda de um profissional especializado que sabe o limite de alongamento do membro trabalhado.

Esse método trabalha o alongamento voltado para a atividade que será realizada. Por exemplo, se for jogar futebol, vale flexionar e girar o quadril ou até dar alguns chutes.

4. Alongamento específico

É feito com ajuda de algum aparelho, como uma faixa elástica, uma bola suíça ou com a ajuda de alguém.

5. Alongamento passivo

No caso em que o controle do movimento é passado para outra pessoa, é muito importante ter noção do seu limite e interromper o alongamento caso sinta dores excessivas.

Veja mais dicas de alongamento e exercícios no Minha Vida!

Clique aqui e leia mais