Álcool x COVID-19:
ingerir bebidas
diminui a
imunização?

É seguro consumir álcool antes
e/ou depois de se vacinar?
Essa tem sido uma pergunta
comum com o início da vacinação contra a COVID-19.

Apesar de ainda não existirem
estudos elaborados sobre o tema,
a maior parte dos profissionais de
saúde recomenda que a ingestão
de bebidas não ocorra durante o
período de imunização.
Mas por quê?

Por que evitar
o consumo de
álcool?

O consumo pesado [de bebida] pode enfraquecer o sistema imunológico e limitar os benefícios da vacina.

Por isso, para quem bebe em excesso, o recomendado é parar ou reduzir o uso de álcool enquanto a imunização está ocorrendo.

Segundo Arthur Guerra, psiquiatra e presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool, o ideal é fazer uma pausa no consumo de álcool por, no mínimo, duas semanas após a 2ª dose da vacina.

É obrigatório?

Em comunicado, a Sociedade
Brasileira de Imunizações (SBIm)
afirmou que não há necessidade
de cortar o consumo de bebidas
alcoólicas para se vacinar contra
a COVID-19.

A interrupção no consumo de álcool é uma recomendação. Nos estudos clínicos e testes da vacina, os voluntários não precisam restringir o consumo de qualquer tipo de bebida.

Dessa forma, não existem dados suficientes que comprovem qualquer efeito negativo que o álcool possa causar durante a imunização contra o coronavírus.

O Instituto Butantan e a Fiocruz, fabricantes da CoronaVac, Oxford AstraZeneca e Covishield, também alegaram que não existem recomendações que proíbam o consumo de álcool antes ou depois da vacinação.

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui