Câncer de mama: quais os cuidados de pessoas trans?

Geralmente, quando ouvimos falar sobre o câncer de mama e sua prevenção, grande parte dessa divulgação aborda exclusivamente casos e a prevenção para mulheres cisgêneras.

Por conta disso, a maioria da população transgênera e não binária não tem fácil acesso às informações necessárias para se prevenir da doença. Mas, afinal, quais os cuidados?

Antes de tudo, é preciso saber que os riscos de câncer de mama existem tanto para mulheres trans e travestis em terapia hormonal com estrogênio, quanto para homens trans em uso de testosterona.

No caso das mulheres trans, por conta dos hormônios, as mamas se desenvolvem e o risco de câncer também pode aumentar.

Já no caso de homens transgêneros submetidos à mastectomia masculinizadora, os riscos de desenvolver câncer de mama diminuem significantemente, porém, ainda é importante ter atenção ao autocuidado.

A mamografia ainda é o principal exame utilizado para a detecção do câncer de mama e pode reduzir em até 30% as mortes causadas pela doença.

Prevenção do câncer de mama

No caso das mulheres trans, o rastreio do câncer de mama deve ser realizado se houver uso de hormonioterapia por mais de cinco anos, com periodicidade de um a dois anos a partir dos 50 anos.

Já homens trans que não realizaram a mamoplastia devem fazer o exame de rastreio a cada dois anos, a partir dos 50 anos até os 69 anos de idade.

Para homens transgêneros mastectomizados bilateralmente, o rastreio não é indicado.

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui