Como parar de roncar

Se você ronca, certamente não foi o primeiro a saber. Mas, ao contrário do que se imagina, o som decorrente da vibração dos tecidos na região da faringe não é prejudicial apenas para quem escuta.

Além de incômodo,
o ronco pode estar
relacionado a diversas condições de saúde que exigem atenção. Por isso, confira algumas maneiras de parar de roncar e ter mais qualidade de vida:




Perca peso: 


o excesso de gordura também afeta a região do pescoço, espremendo a faringe e prejudicando a passagem de ar. Qualquer tratamento do ronco é mais eficiente se acompanhado de perda de peso.


Descubra se tem
apneia do sono: 

ronco é o principal sintoma da apneia do sono, que precisa de tratamento, pois as oscilações de oxigênio aumentam o risco cardiovascular e podem levar a um infarto.


Modere no consumo
de álcool: 

o álcool relaxa a musculatura do corpo, causando o afrouxamento exagerado dos músculos. Mesmo quem não ronca habitualmente pode ter o problema nos dias em
que bebe.


Trate as alergias
respiratórias: 

pessoas que sofrem de alergias respiratórias, como a rinite alérgica, estão frequentemente com o nariz entupido, o que pode contribuir
para o ronco.


Evite dormir de barriga para cima: 

pela ação da gravidade
e retração da língua para
trás, há um estreitamento
da passagem de ar,
aumentando a vibração
dos tecidos da faringe.



Alinhe os dentes: 

problemas na arcada
dentária ou no
alinhamento dos dentes
também podem
favorecer o ronco.


Identifique problemas anatômicos: 

o ronco pode ser decorrente de um problema como o desvio de septo nasal, que é apenas resolvido com a intervenção cirúrgica.




Use dilatador nasal: 


embora possam ajudar, os dilatadores nasais não são indicados para todos. O método funciona para um público muito restrito, mas apenas como paliativo, e não tratamento.

CURTIU?