7 problemas relacionados ao exagero na hora de comer

Você é o tipo de pessoa que espera o estômago reclamar de fome para comer ou prefere fazer pequenas refeições ao longo do dia? A resposta para isso pode explicar como seu metabolismo funciona.

Apesar de ser uma prática muito comum, não é aconselhável esperar a fome chegar para se alimentar. Isso porque, quando sentimos muita fome, acabamos tendo um impulso de comer de forma exagerada.

Na maioria das vezes, até preferimos alimentos mais calóricos e pouco saudáveis. Essa é uma resposta natural do cérebro à falta de energia no corpo, mas ela não é assim tão positiva.

Embora esse impulso por comida nos traga um prazer momentâneo e a sensação
de saciedade, ele está relacionado a sérios problemas de saúde, sabia? Confira alguns deles a seguir:

Quando exageramos na comida, o estômago pode levar mais tempo para digerir os alimentos, o que pode causar a famosa sensação de estufamento. Terrível, né?

Má digestão

Além disso, a energia demandada pela digestão pode provocar outros efeitos no nosso corpo, como a sensação de “moleza”, sono e até náuseas.

Indisposição

Ao comer demais, acabamos expondo nosso sistema digestivo a quadros de refluxo, que ocorre quando o suco gástrico utilizado no processo de digestão volta para o esôfago.

Refluxo e azia

Consequentemente, podemos ter azia e a sensação de queimação. Especialmente quando há a ingestão de alimentos muito gordurosos, apimentados ou muito condimentados.

Além de prejudicar a autorregulação do apetite, o ato de comer demais (e mais rápido) pode, a longo prazo, levar a distúrbios alimentares.

Controle do apetite

O estômago é muito elástico, moldado a partir da quantidade de comida ingerida. Quando comemos muito e rapidamente, ele não consegue expandir na velocidade necessária.

Estômago cheio

Desse modo, você pode passar mal e até vomitar. Esse comportamento é bastante comum em pessoas ansiosas e compulsivas.

O consumo de mais calorias do que o corpo precisa não deixa outra alternativa se não engordar, certo? A predisposição genética também é um fator importante nesse processo.

Sobrepeso e obesidade

Desde que a obesidade é uma consequência direta da gula, é importante lembrar que ela é um fator de risco para outras doenças, como diabetes e pressão alta.

Atalho para doenças

Por isso, a manutenção de hábitos alimentares saudáveis é essencial para evitar esses problemas e viver com mais saúde!

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui