Por que a técnica do charutinho pode trazer riscos ao bebê?

Os primeiros meses de vida do bebê são um período importante de adaptação, especialmente no que diz respeito aos cuidados com o recém-nascido.

Uma das principais preocupações dos pais está relacionada à qualidade de sono da criança - e um dos truques mais antigos para acalmar os bebezinhos é o famoso charutinho.

A técnica consiste em enrolar o bebê em uma manta ou cueiro, a fim de simular o ambiente uterino onde ele permanecia aquecido, apertado e seguro para um sono tranquilo.

Além disso, esse método impede o bebê de ter movimentos ainda não coordenados, como reflexos primitivos, que podem assustá-lo e causar uma crise de choro.

Porém, o charutinho já não é mais recomendado pelos especialistas pelos perigos que pode trazer à vida da criança. Entenda o porquê:

O principal risco do charutinho é que ele aumenta as chances de Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI), especialmente em bebês com mais de seis meses.

Por que o charutinho não é recomendado

A partir dessa idade, eles já têm a habilidade de rolar para uma posição que não é segura, o que pode fazer com que a criança fique presa na manta.

Há também o aumento das chances de hipertermia, que ocorre quando a temperatura do corpo do bebê sobe excessivamente, além do maior risco de infecções respiratórias.

A Sociedade Norte-Americana de Pediatria alerta também para os riscos de displasia de quadril em bebês que tenham suas pernas enfaixadas de forma muito firme.

Caso os pais optem por enrolar o bebê em charutinho, existem alguns cuidados que devem ser tomados para garantir a segurança da crianças, como:

Cuidados ao utilizar o charutinho

> Deitar o bebê de barriga para cima com as costas no colchão firme;

Não deixar um cobertor solto no berço, por aumentar o risco de sufocamento;

A manta precisa estar firme, mas frouxa o suficiente para passar uma mão entre ela e o tórax do bebê, minimizando problemas respiratórios, e sem pressionar quadris e pernas.

Além disso, o bebê deve ser constantemente monitorado para evitar que ele role acidentalmente.

O carregador de bebê, conhecido como sling, é uma alternativa para acalmar a criança, permitindo que ela fique numa posição confortável e anatômica junto ao corpo da mãe ou pai.

Sling

Segundo especialistas, o sling mais recomendado é aquele feito de tecido, de preferência de algodão, visto que isso evita que o bebê sinta muito calor.

Outra alternativa é o saco de dormir, que se prende aos ombros da criança e permite que ela se mova durante o sono, ajudando no controle da temperatura corporal.

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui