Por que as pessoas estão tendo AVC cada vez mais jovens?

Você sabia que o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a segunda principal causa de morte no Brasil. E, ao contrário do que se pensa, o quadro não atinge apenas pessoas idosas. 

Pessoas jovens são muito propensas a desenvolverem o AVC. Por sinal, o número cresce a cada ano.

Segundo dados da Central Nacional de Informações do Registro Civil, 17,2% dos óbitos contabilizados em 2019, em pessoas entre 20 e 59 anos, foram causados por AVC. Em 2020, o índice foi de 18,5%.

O AVC em jovens é similar ao de idosos: uma artéria se entope no cérebro. A grande diferença está mesmo na "causa" desse entupimento.

AVC em idosos e jovens: diferenças

Nos mais velhos, hipertensão arterial, diabetes mellitus, tabagismo, colesterol alto e problemas do coração são os principais fatores de risco para o AVC.

Doenças como vasculites, lúpus, trombofilias e infecções também costumam desencadear o AVC em jovens.

Ou seja, jovens obesos, hipertensos, com colesterol alto e doenças raras têm os fatores de risco tradicionais para o acidente vascular cerebral.

Perda súbita da força na face, formigamento do rosto, perda da visão, alteração na fala, dor de cabeça súbita e intensa, vertigem, desequilíbrio.

Sintomas do AVC em jovens

Sabe-se que quanto mais jovem o cérebro, mais fácil a chance de recuperação de um AVC.

Sequelas do AVC em jovens

De qualquer forma, é preciso ter atenção aos sinais e sintomas de um AVC, normalmente de instalação súbita. Na primeira suspeita, levar a um pronto atendimento.

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui