Rubéola na gravidez é perigosa? Veja causas e prevenção

A rubéola é uma doença altamente contagiosa, que pode afetar adultos e crianças de qualquer faixa etária, não sendo considerada grave. Porém, quando acomete gestantes, ela pode ser muito agressiva.

Isso porque, durante a gravidez, o vírus atinge a placenta pela circulação materna e prejudicar o desenvolvimento do feto, causando a Síndrome da Rubéola Congênita.

Rubéola na gravidez: perigo

A rubéola é transmitida de pessoa para pessoa por meio das secreções ao falar, tossir, respirar ou espirrar - e ocorre especialmente quando a mãe não está protegida pela vacina.

Transmissão

Quanto mais precoce for a infecção em relação à idade gestacional, mais grave é a doença. Ou seja, quando a mãe contrai o vírus no primeiro trimestre de gestação, o risco de malformação é maior.

O principal sintoma da rubéola na gravidez é o surgimento de erupções vermelhas na pele, que aparecem primeiro no rosto e, depois, se espalham pelo tronco, braços e pernas.

Sintomas

A maior parte das mulheres que contraem o vírus também apresentam febre e aumento de linfonodos, principalmente no pescoço. Dores articulares e sintomas gripais também podem aparecer.

Para o feto, os riscos são maiores do que para a mãe. Isso porque o vírus pode comprometer vários órgãos e causar cardiopatias congênitas e microcefalia.

Riscos para o bebê

Além disso, pode causar também crescimento intrauterino restrito, calcificações abdominais, ascite, surdez, catarata, glaucoma, retinopatia e diabetes.

Não existe tratamento específico para a rubéola, nem para a infecção fetal. Porém, durante esse período, os médicos podem auxiliar as gestantes no controle dos sintomas.

Tratamento

Em alguns casos, é avaliada a interrupção da gestação de forma precoce para tratamento em UTI neonatal. Após o nascimento, são tratadas as malformações congênitas causadas pela síndrome.

Na suspeita de infecção por rubéola na gestação, deve-se procurar um especialista para a investigação laboratorial da infecção e os exames de avaliação fetal.

Cuidados

Além do isolamento e do acompanhamento pré-natal, outros cuidados devem ser tomados, como repouso, uso de medicamentos prescritos pelo médico e beber, ao menos, dois litros de água por dia.

Clique aqui e leia mais

Tudo para sua
saúde e bem-estar
você encontra aqui