Terceira dose da Pfizer é eficaz contra variante Ômicron

Com cerca de 50 mutações em seu código genético, a nova variante Ômicron já foi considerada uma cepa com maior risco de reinfecção do que outras variantes.

Ainda não se sabe o quão transmissível a variante Ômicron é - e nem se a cepa é mais branda ou grave -, um estudo já conseguiu analisar seu impacto na vacinação.

De acordo com testes laboratoriais preliminares, três doses da vacina Pfizer contra a COVID-19 possuem potencial para neutralizar a nova variante Ômicron.

Em estudo, foi revelado que a dose de reforço da vacina da Pfizer aumenta os anticorpos neutralizantes em 25 vezes. Apenas duas doses mostram um nível de neutralização reduzido.

Dose de reforço

Segundo o teste, o soro obtido de vacinados um mês após receberem a vacinação de reforço neutralizou a variante Ômicron em níveis que são comparáveis aos observados ao tipo selvagem da proteína.

Ou seja, ainda que as duas doses da vacina possam oferecer proteção contra os sintomas graves causados pela nova variante, a proteção é melhorada com uma terceira dose da Pfizer.

Ainda são necessários mais testes e dados para avaliar a eficácia da vacina no mundo real. Além disso, uma vacina específica para o Ômicron já está sendo desenvolvida.

Clique aqui e leia mais

Quer saber mais sobre saúde e
bem-estar?
Acesse o Minha Vida